Imperfeição e flores

Desculpe, se culpa não tenho de ser imperfeito, senhor. Gosto de sorrir, mas me fazem chorar, gosto de flor, ah, mas o senhor é daqueles insensíveis o qual o cu é o bem mais precioso de sua fútil dignidade. Desculpe a indelicadeza de minha parte, mas por que não vai tomar um refresco para esfriar a cabeça? Não grite. Olhe a compostura. Tenha um bom fim de vida. Agora preciso ir, o sol já está a se por.   

Nenhum comentário:

Postar um comentário