Um desafio


        Eu estava no campo quando a vi surgir em meio todo aquele caos. Um calor insuportável parecia estar me queimando de dentro para fora. A dor gritava dentro do meu peito, a dor grita em meu peito, a dor mora em meu peito. Estava parada envolvida por fumaça negra das arvores que pegavam fogo. A sua presença causava isso. Ouviam-se tiros e gritos, choros e pedidos de socorro. E ela estava ali, parada feito estátua. Eu andava na sua direção, mas ela afastava-se. A cada passo o calor era maior, eu andava em direção a morte, eu ando em direção a morte, em direção ao ramo de lírios. Seu olhar acompanhava-me sem ao menos piscar. Arranco um lírio e a desafio-te a me amar.

Nenhum comentário:

Postar um comentário